"Go slow", em Dandriga


"Go slow" é o lema por aqui. "Relax, you will get there", é o que define os horários de autocarro neste país e o que me leva de Belize City para Dandriga não é excepção. Mal entramos no decrépito e arrepiante terminal de autocarros, arranjo um que me leva ao meu destino.


O autocarro escolar americano ainda exibe as regras de bom comportamento e a primeira é "Behave yourself as in classroom". Não gosto nada de quebrar as regras por isso tratei de me sentar direitinha ao lado de uma jovem garifuna com a sua filha ao colo.


Dandriga é a principal cidade da comunidade Garifuna do Belize e é puro Caribe, desde o cheiro do ar, passando pelo clima e terminando no estilo descontraído das pessoas. Ficamos alojados num pequeno hotel gerido por uma família garifuna e usamos Dandriga como base para explorar o Santuário de Vida Selvagem de Cockscomb.



A população está habituada a ver turistas que passam por aqui a caminho dos Cayes Centrais e do Sul (ilhas), mas pouco habituados a verem turistas que aqui permanecem algum tempo. Não há restaurantes, cafés ou lojas de "recuerdos". Dandriga é uma cidade pequena mas a 2ª maior do Belize. Estranhamente, a mim, parece-me uma aldeia. As pessoas cumprimentam-me na rua. O ritmo continua "slow" e eu entrei no ritmo. Também decidi ir "slow" em Dandriga. Ao fim de dois dias embarquei do porto de pescadores para Tobacco Caye, um dos lugares desta viagem onde verdadeiramente me apeteceu "stay longer, much longer".   


Etiquetas: