Tula - a capital da Civilizaçao Tolteca

Ontem estive mal disposta. O meu estômago parece que não gostou de algo que comi. Não sei bem o quê porque não tenho comido grande coisa. Talvez seja do calor. No entanto, apesar de me ter deitado no dia anterior às 21 h, com febre e cheia de dores de estômago decidi que o que me tinha trazido a este país era demasiado importante para que não o fosse visitar. Assim, levantei-me bem cedo, apanhei um táxi para o terminal de autocarro (o que por si só já foi um luxo devido a estar doente) e rumei a Tula. Depois de uma hora e meia de viagem e alguma indisposição lá cheguei às afamadas ruínas Toltecas. 


As ruínas de Tula, a 70 km da Cidade do México, são o melhor legado da civilização Tolteca no México. Outrora a maior cidade do México, no séc. IX e X chegou a ocupar uma área de 12 km2 e a albergar uma população de 30 000 habitantes. De acordo com os estudos realizados até ao momento, a cidade parece ter sido fundada por Ce Ácatl Topiltzin Quetzalcóatl, um soberano tolteca que criou uma cidade sobre uma colina, ao contrário do que era habitual na área. A sua posição geográfica faz crer que a defesa desta cidade era um aspecto muito importante no seu quotidiano.

  
As ruínas de Tula exibem pirâmides de terraços, colunas, esculturas com baixos-relevos e campos de bola. Foram encontrados aqui vários Chac Mools, estátuas de pedra pré-colombianas mesoamericana, que representa uma figura humana numa posição reclinada com a cabeça erguida e voltada para um dos lados. A figura segura uma bandeja sobre a barriga. O significado da posição ou da própria estátua permanece desconhecido. Apesar destas estátuas serem atribuídas à civilização Tolteca, elas têm sido encontradas também noutros sítios arqueológicos maias, nomeadamente em Chichen Itza. 

  
Tula terá sido saqueada pelos Aztecas e perdeu-se muitas das suas manifestações artísticas, tais como esculturas e outras obras de arte. A divisão religiosa que existia entre os seguidores do deus Quetzalcóatl e os do deus Tezcatlipoca, levou a que os Chichimecas tenham expulsado os Toltecas do centro do México e estes se tenham refugiado na região de Iucatão, criando condições para o aparecimento posterior da civilização Maia.


Apesar de restar muito pouco desta cidade a visita é obrigatória. É um lugar único no mundo e mesmo para quem está doente e com pouca vontade de apreciar e desfrutar, é uma experiência extraordinária sentamo-nos no topo das pirâmides lado a lado com os guerreiros Atlantes gigantescos. 


Etiquetas: