Na "crista da onda" em Puerto Escondido

Diz a lenda que uma jovem mixteca foi perseguida e capturada por um grupo de piratas malfeitores liderados por Andrés Drake (irmão do famoso Francis Drake). Depois de ter sido mantida em cativeiro num barco durante várias semanas, a jovem conseguiu fugir e escondeu-se na baía. A baía passaria a ser chamada Baía de la Escondida e quando criaram a cidade esta foi baptizada em sua honra.


Depois de uma semana entre a Cidade do México e os seus arredores rumamos a Puerto Escondido, uma povoação na costa mexicana do Pacífico. Saímos da capital mexicana já era noite e apanhamos um autocarro nocturno para Puerto Escondido. A viagem demorou 14 horas e acabamos por chegar de manhã e cumprir os 800 km que separam estas duas localidades. 


Puerto Escondido é um destino para os amantes do surf e dezenas de surfistas chegam aqui diariamente, munidos de pranchas. A parte dos cabelos louros ao vento e as marcas de nivea nas maças do rosto agradam-me. Os corpos esbeltos e moldados com pranchas de surf debaixo do braço correndo pela praia também. Escusado era eu ter chegado aqui na época baixa! Já não se pode confiar nos surfistas.


Puerto Escondido só começou a crescer depois da década de 60, quando os hippies começaram a rumar a Zicatela, o nome original do lugar mas que hoje designa a maior praia da zona. Até aí, existia uma pequena vila piscatória com pouca população devido à falta de água potável. Parece que para os hippies isto não era um problema e a cidade começou a aumentar. A cidade começou a crescer quando passou a receber anualmente os campeonatos mundiais de surf.

  
Apesar de a cidade contar com uma população de 45 mil habitantes, a verdade é que os turistas parecem em maioria. Rapidamente percebemos que a maioria não são turistas, são “nómadas” que adoptaram esta cidade para viver e aqui fazem a sua vida. Entre hotéis, restaurantes, bares, cafés, lojas, tudo parece estar na mão dos estrangeiros. Desde norte-americanos, australianos e alemães, muitos foram os que trocaram a vida num país economicamente estável pelo caos do México.


Nós decidimos apenas passar aqui um par de dias. O mar é pouco "flat" para dois surfistas amadores. O pipeline é gigantesco e até mete medo só de ver os surfistas a tentarem entrar. Só de tomar banho na praia fartei-me de levar "porrada" deste oceano que se designa de Pacífico! Puerto Escondido é um paraíso para o surf, mas nao é definitivamente para amadores. Vingamo-nos nas esplanadas e nas cabanas junto a praia. 

Etiquetas: