De partida do Irão

Depois de uma noite passada no autocarro, vindos de Shiraz, o cansaço fazia-se já sentir quando chegámos a Teerão, por volta das seis da manhã. A noite era ainda cerrada e resolvemos ir para a sala de espera do terminal de autocarros até que o sol nascesse.


Saímos por volta das oito da manhã e apanhámos um táxi até à estação de metro. De lá seguimos para o centro da cidade e resolvemos procurar por um sítio onde pudéssemos deixar as mochilas grandes durante o dia. Depois de algumas tentativas falhadas, o recepcionista do hotel Mashad acedeu ao nosso pedido, em troca de uma pequena quantia.

Depois de termos comprado pão, e tomado o pequeno almoço na rua, seguimos a pé para visitarmos a Madrassa va Masjed-e Sepahsalar mas só depois de lá chegarmos, e sermos escorraçados por um porteiro mal encarado, é que reparamos no guia que só está aberta à 6ª feira (e só para homens). De lá, fomos para o bazar, onde andamos mais ou menos perdidos no labirinto de ruas e vielas que constituem este "centro comercial". O contraste com o bazar que tínhamos visto durante o Nowruz era, claro, evidente. O movimento de pessoas é constante, assim como a vontade da Carla em tirar fotos!

Bazar de Teerão no Nowruz
Bazar de Teerão habitualmente.
Estava já na hora de almoço, por isso resolvemos voltar ao agradável parque Shahr, onde comemos o que trazíamos na mochila e onde aproveitámos para descansar um pouco à sombra das árvores. Se não fosse um guarda vir dizer-nos que não era permitido deitar-se na relva, tínhamos dormido a sesta mesmo ali!

Resolvemos ir visitar a torre Azadi, uma das imagens icónicas de Teerão. Para chegar lá, apanhámos o metro e depois uma pequena viagem de táxi, no final da qual o taxista fez questão de não receber dinheiro pela viagem. Claro que nós sabíamos que é um costume do país chamado Ta'arof (embora agora pouco comum entre taxistas...) por isso tive de insistir até que ele aceitasse! O monumento, erigido para comemorar os 2500 anos da civilização persa, é realmente impressionante, com uma bela arquitectura, combinando a modernidade com elementos clássicos. Queríamos subir, para ter uma visão panorâmica da cidade, mas à entrada tivemos uma pequena surpresa. No guia, o preço por pessoa era de 6 000IR, mas quando o porteiro nos disse o preço até tive de pedir para ele repetir: 120 000IR, equivalente a aproximadamente 6 euros, e correspondendo a um aumento de 1000%! A inflação no Irão anda assim... Principalmente para os turistas (mas não só...). Como estávamos em contenção orçamental, resolvemos ver só por fora.

Regressamos da mesma forma, e fomos de metro até à praça Ferdosi, descendo a rua Ferdosi em busca de um "coffee-net", onde poderíamos relaxar um pouco e, quem sabe, actualizar o "Viajar entre Viagens". Encontrámos um estabelecimento, mas, como já esperávamos, nada de blogs ou facebook. Sendo assim, demoramos lá pouco tempo e regressamos ao bazar, pois a Carla ainda não estava completamente satisfeita e ainda tinha algumas compras por fazer. 

Como o aeroporto fica bastante longe da cidade, e o trânsito por aqui é famoso pela sua intensidade, resolvemos que iríamos buscar as mochilas ao fim da tarde e apanharíamos um táxi para o aeroporto na zona da praça Imam. Mais vale prevenir do que remediar... O senhor do hotel Mashad foi super simpático e até nos ajudou a arranjar um táxi e regateou o preço por nós! Conseguimos assim um desconto que não estávamos à espera, e confirmamos mais uma vez que o principal "highlight" deste país é mesmo a hospitalidade dos seus habitantes!
Após cerca de uma hora de viagem, chegámos ao aeroporto internacional Imam Khomeini. Estava na hora de regressar a casa...

Etiquetas: