Puerto Varas

Dizem que as vistas do lago e do vulcão Osorno em Puerto Varas são fabulosas. Dizem, mas eu não sei. Dizem que as águas do lago Llanquihue são verde esmeraldas. Dizem, mas eu não vi.
Dos três dias que aqui passei, todos estiveram nublados e o vulcão Osorno não se via. Inclusive, no segundo dia choveu todo o dia. O tom cinzento-negro do céu não deixa reflectir a luminosidade na água. Só no primeiro dia tive direito a uma hora de céu azul. Povoado por alemães, a vila desenvolveu-se com um estilo alpino e caminhar nas suas ruas é quase como estar de férias nos Alpes. As placas publicitárias anunciam applesttrudel e ouve-se falar alemão frequentemente. Pareço longe do Chile que conheci.
Por aqui o verão é muito curto. Resume-se aos meses de Janeiro e Fevereiro. Os restantes 10 meses são de inverno, dizem os locais. "Chegou no inverno, agora vai ser difícil ver o Osorno", dizem-me. O número de turistas é muito reduzido e as estruturas de apoio ao turismo estão todas praticamente fechadas. Apesar do tempo, Puerto Varas mereceu bem a visita. É a porta de entrada para explorar o Parque Nacional de Petrohué, e foi isso que eu fiz. Aproveito o hostel fantástico (Melmac Patagónia), onde desfruto de um dormitório de 8 pessoas só para mim. Vantagens da temporada baixa! Aproveito para cozinhar, algo que já não fazia quase há um mês. O menu inclui moelas, frango, pinhões, mexilhões... Isto porque descubro as maravilhas dos mercados locais, onde os queijos e compotas caseiras fazem as minhas delícias.
No entanto, antes de apanhar o barco para Puerto Natalles resolvi voltar a Puerto Varas e apanhei um FABULOSO dia de sol. Vi TUDO!

Etiquetas: