Montevideo

Capital do Uruguai, Montevideo é uma típica cidade sul-americana, com um bairro colonial antigo na proximidade do porto e um centro urbano e moderno que cresceu ao lado. Depois de 13 horas de autocarro desde Rosário, entro finalmente no Uruguai e é a cidade de Montevideo que escolho como minha primeira paragem neste país. Os preços dos alojamentos na cidade são bastante caros, mesmo para quem vem da Argentina, onde a inflação sobe todos os dias, a uma taxa de 30% ao ano. Sendo assim, optei por fazer couchsurfing. A principio foi bastante dificil encontrar um host, já que ao que parece todos os montevidosenses vão para as praias nas férias de carnaval. Mas, à última da hora, lá encontrei o Gonzalo, um bailarino de tango. Escreveu-me a dizer que não haveria problema algum em eu me alojar na sua casa, desde que não me sentisse incomodada com obras, já que estava a fazer uma biblioteca. "Claro que não", respondi-lhe eu. Assim, quando cheguei a Montevideo, a primeira coisa que fiz foi apanhar um colectivo (187) que me deixou a duas quadras de casa do Gonzalo, em plena "ciudad vieja". Conhecemo-nos ali e senti logo uma grande empatia pela sua pessoa. Conversamos um bocado e depois de ele me recomendar um percurso para conhecer Montevideo, saí para explorar a cidade.
Entalado entre o Brasil e a Argentina, o Uruguai parece ser um destino turístico por excelência para os brasileiros. Nas calles só se ouve falar português.
Num país com 3,5 milhões de habitantes, a população concentra-se na capital, que apresenta mais de 1,5 milhões de habitantes. No entanto, parecem ter ido todos de férias. Passeio-me pelas ruas desertas e, nos lugares mais turísticos, tenho a companhia dos brasileiros.
Começo por fazer um passeio pelas ramblas, já que a casa do Gonzalo fica de frente para o mar, na Rambla Francia. Chego ao porto. Visito o museu do Carnaval e o Mercado do Puerto. Almoço aí. Dizem os uruguaios que a carne do Uruguai é melhor do que a da Argentina. Havia que experimentar e desfazer as dúvidas. A verdade é que é bastante boa mas não melhor. Deambulando pelas ruas de Montevideo, fui conhecendo os seus principais locais de interesse. Infelizmente, os museus aqui fecham ao domingo e perdi a hipótese de ver o Museu de Arte pré-Colombiana e dois museus de arte de dois artistas plásticos uruguaios que me interessavam: Torres Garcia e Gurvich.
Passando pela Plaza de la Constituicion, onde se ergue a Igreja Matriz e o Cabildo (primeira casa do governo uruguaio), sigo até à Plaza da Independencia. Aí, a Porta de la Ciudadela leva-me para a praça com o mausoléo de Artigas (herói da independência do Uruguai), o Palácio Estevez, o Palácio Salvo e o Teatro Solis. Ao lado destes edifícios coloniais, erguem-se outros em estilo moderno. Deixo-me ficar pela cidade durante a tarde. Só ao final do dia regresso a casa do Gonzalo e me preparo para um dos carnavais mais originais do mundo.

Etiquetas: