Uma passagem de ano no coração do Leste da Europa - Riga

Deixamos Viljandi para trás e apanhamos um autocarro para Parnu, onde teriamos que apanhar o autocarro que vem de Tallinn e que se dirige para Riga. Com apenas meia-hora entre os dois autocarros, aproveitamos para visitar uma igreja ortodoxa em Parnu. Infelizmente, o seu interior estava encerrado mas disfrutamos da sua arquitectura particular.
Uma vez no autocarro, percorremos o sudeste da Estónia e cruzamos a fronteira, outrora com postos fronteiriços, com a Letónia. Desde 2004, data da entrada das repúblicas do Báltico na União Europeia, estas fronteiras são meramente administrativas. Demoramos cerca de duas horas e meia a chegar a Riga.
A estação de Riga é em frente ao Mercado Central que ocupa vários hangares de zeppelins construidos pelos alemães na I Guerra Mundial. De mochila às costas, caminhamos pelas ruas de Riga até encontrar o hostel onde vamos ficar alojados - Frank Friends Hostel. Quando entrei no hostel pensei que estava no filme "hostel"! Uma loura lindíssima, alta e muito sensual recebe-nos. Pensei: "É esta noite que o Rui desaparece..."! Fazemos o check-in, colocamos as mochilas no quarto e saimos para uma primeira abordagem pela capital da Letónia.
Como estamos no hemisfério norte, durante o inverno, os dias são bastante pequenos. Apesar de estarmos mais a sul do que Helsinquia (onde anoitecia às 15h) e do que Tallinn (onde anoitecia por volta da 15.20h), aqui também anoitece bastante cedo. Por volta das 15.40h já é noite cerrada. Sendo assim, o período de tempo em que temos luz solar é muito pequeno e os dias rendem muito pouco para conhecer os lugares. Aproveitamos a tarde para conhecer o centro histórico, nomeadamente a igreja de São Pedro, a casa dos Cabeças Negras e a magnífica praça onde está edifícada. Uma árvore de Natal embeleza ainda mais o local. Deambulando pelas ruas de Riga encontramos o mercado de Natal, na praça Doma Laukums, e a Catedral. Nevava intensamente. Tanto que tivemos que nos abrigar no interior da Catedral durante algum tempo, já que caminhar era impossível.
A noite já tinha caido quando encontramos um supermercado onde compramos os alimentos para preparar o jantar desta noite.Regressamos ao hostel e aproveitamos para relaxar no final da tarde e preparar o jantar. A nossa ceia de passagem de ano teve uma ementa invejável. De entrada, queijo roquefort, chouriço de rena e caviar com tostas, que descobrimos tinham sabor a baunilha! O prato principal foi lombo de borrego com frutos vermelhos acompanhado por puré. De sobremesa, um magnífico cheesecake de mirtilhos. Dividimos a cozinha do hostel com cerca de 20 pessoas. Para nós eram todos russos, polacos ou dos países de leste porque a língua só soava a russo! Não se ouve falar inglês.
Depois de um magnífico jantar saimos para as ruas de Riga. Foi aí que passamos a meia-noite. As pessoas apinhavam-se na praça junto ao Monumento à Liberdade. Todos esperavam o final de 2010 e ínicio de 2011. Um fogo de artício colorido sobre o canal Pilsetas, completamente gelado, clareou a noite e animou todos os presentes. Depois das comemorações da meia-noite, a praça transformou-se numa enorme pista de dança a céu aberto. Fantástico. Por ali estivemos a dançar e a comemorar a entrada no novo ano, com -4ºC.
O dia seguinte não poderia começar muito cedo mas também não podiamos dormir até tarde porque senão quando acordassemos seria de noite!!! Sendo assim, levantamo-nos por volta das 10.30h e, ensonados, lá fomos visitar Riga. Começamos pelas margens do rio Daugava, o castelo e pelos edíficios mais emblemáticos da cidade, um ex-libris da arquitectura Art Nouveau (Jugendstil), concorrendo com cidades como San Petersburgo. Se ontem nevou muito, hoje nevou ainda mais.
Fizemos um percurso pelo centro histórico e depois um percurso pelos principais edíficios de Art Nouveau. No final do dia estavamos esgotados. As poucas horas de sono, a forte queda de neve e a dificuldade em caminhar nestas condições fez com que demorássemos imenso tempo para visitar tudo o que queriamos. Num dia de verão seria tudo muito mais rápido.
Ao final da tarde recolhemos ao hostel e depois do jantar fomos logo dormir. Amanhã iremos para Vilnius bem cedo.

Etiquetas: