Haapsalu - uma viagem pelos comboios da realeza russa.

Fundao? Que faz uma placa do Fundao na saida da estacao de autocarros de Haapsalu? Afinal o Fundao tem uma cidade geminada na Estonia, e Haapsalu.
Haapsalu e uma cidade costeira na parte ocidental da Estonia e desde os tempos dos Czares russos que e uma importante estancia balnear. A Ingrid, a nossa anfitria em Tallinn, aconselhou-nos a visita-la e assim fizemos. Apanhamos um autocarro bem cedo e depois de duas horas alcancamos o nosso destino. Nevava intensamente e assim continuou o resto do dia. Na paragem de autocarro avistamos uma placa com a bandeira portuguesa e o nome da cidade do Fundao. Corremos para a fotografia da praxe!
Ao lado da estacao de autocarro encontra-se a extinta estacao de comboio que alberga hoje o Museu dos Caminhos-de-ferro. Infelizmente, a semelhanca da maioria dos museus, estava fechado para ferias e so voltaria a abrir no dia 4 de Janeiro. Visitamos, no entanto, as maquinas e uma extensa plataforma com cerca de 215m de comprimento. As famosas lamas e praias de Haapsalu atrairam as familias ilustres da Russia que para aqui se dirigiam nos veroes. A estacao e as linhas estao cobertas de neve. Tivemos que "desbravar" terreno para conseguir alcancar as locomotivas.
Pelas ruas de Haapsalu as pessoas vao caminhando de forma tranquila. Eu tento desesperadamente equilibrar-me a cada passo para evitar cair mais uma vez. Demoro imenso tempo para percorrer 100m. E vergonhoso!
Visitamos um pequeno mercado local e o cemiterio (encantado pela neve) e dirigimo-nos a maior atraccao da cidade: o Castelo do Bispo e a Catedral adjacente. Tal como os museus, o seu interior tambem estava fechado, mas pudemos deambular no espaco exterior livre de multidoes. Deviamos ser os unicos malucos que faziam "turismo" com -9C e a nevar interruptamente! Grande parte do castelo esta em ruinas fruto do seu desmantelamento por Pedro, o Grande, no sec. XVIII. Contigua ao castelo encontra-se a catedral gotico-romana cuja igreja e a maior com uma so nave de toda a regiao do Baltico. Conta a lenda que na noite de lua cheia de Agosto aparece uma figura feminina vestida de branco projectada numa das janelas. A Dama de Branco correspondera ao fantasma de uma jovem mulher que no seculo XIV tera sido emparedada viva na igreja. A Dama de Branco ousou vestir-se de homem para se infiltrar no mosteiro ai existente e assim permanecer perto do seu amante. O bispo descobriu o disfarce e puniu a jovem. Esta crenca popular atrai inumeros jovens que nessa noite de lua cheia se reunem no exterior do recinto.
Entre varias escorregadelas e alguns "cus-contactos" circulamos as muralhas exteriores do castelo e admiramos a magnifica arquitectura de madeira tao tipica desta regiao da Europa. Caminhamos pelas margens do lago gelado, pelas praias e visitamos uma pequena igreja local. O frio apertava e resolvemos entrar num dos cafes mais tipicos deste pais. Chama-se Muuriaare Kohvik e, para alem de ser muito acolhedor, tem uma comida fantastica.
Ja se comecava a fazer tarde e resolvemos apanhar o autocarro de volta a Tallinn. Depois de duas horas de viagem, atravessando paisagens cobertas de neve, alcancamos a capital da Estonia e dirimo-nos a um super-mercado. Hoje vamos fazer o jantar para a Ingrid. Decidimos cozinhar frango com amendoas e pure. Apesar de nao ser nenhum ex-libris da gastronomia portuguesa foi aquilo que conseguimos encontrar no supermercado que se adequava mais. A nossa anfitria adorou e terminamos a noite a fazer "ginger bread" (bolachas de gengibre) com a Ingrid e a Marya, uma amiga da nossa anfitria.

Etiquetas: