Deserto Branco e Deserto Negro - Os desertos ocidentais do Egipto

O Deserto do Sahara, maior deserto quente do mundo, localiza-se no Norte da África e tem uma área de 9 065 000 km². O nome Sahara é uma transliteração da palavra árabe صحراء, que por sua vez é a tradução da palavra tuaregue tenere (deserto). Em todo o Sahara, distinguem-se duas zonas distintas, uma constituída por dunas e designada Erg, e outra bastante pedregosa designada Hamadas. 


A área de Siwa corresponde a zona de Erg, tendo o seu expoente máximo no grande Mar de Areia. A zona que envolve os oásis de Baharyia e Farafra correspondem ao deserto pedregoso, sendo que nas imediações de Baharyia o deserto é negro e em Farafra é branco. 


O Deserto Negro que rodeia o oásis de Baharyia é bastante extenso e a sua coloração resulta da existência de basaltos (rocha vulcânica) na área. 


Já nas imediações do oásis de Farafra, a cor negra da lugar ao branco e o deserto exibe formas fabulosas de erosão eólica talhadas no talco. No Deserto Branco são comuns as formas tipo cogumelos que exibem brilhantemente a acção erosiva do vento sobre a rocha. Deste processo designado por deflação selectiva (porque só as areias e pó em suspensão no ar são responsáveis pela erosão) resulta diversos tipos de superfícies desérticas. Podem ficar a descoberto extensas áreas de rocha nua e polida, como no Deserto Branco, ou desertos de areia, como acontece em Siwa.


Grande parte do Deserto Branco é formado por rocha nua e por extensões de cascalho que lhe foi retirada pela acção do vento. A areia vai-se depositando em locais mais resguardados.


De acordo com alguns estudos recentes, o deserto do Sahara já terá sido mais húmido do que é hoje, tendo apresentado um clima e por consequencia um bioma também distinto. O seu clima terá sido tão diferente que recentes estudos revelaram que o Rio Nilo corria antigamente para o Oceano Atlântico em vez de desaguar no Mar Mediterrâneo. Esta alteração terá ficado a dever-se a uma mudança de poucos graus no eixo de rotação da Terra que provocou, há cerca de 10 mil anos, uma grande transformação climática gerando o Sahara actual. O deserto é rico em história geológica e exibe diversos fósseis desde dinossauros e outros animais e plantas.



Etiquetas: