Dashur

A poucos quilómetros do Cairo situa-se uma aldeia de nome Dashur. Fundada Minsat Dashur, esta aldeia é uma das principais atracções próximas do Cairo, já que lá existem duas grandes pirâmides. Depois de deixarmos Sakkara para trás, andamos cerca de 10 km e entramos numa área militarizada onde existe um conjunto piramidal com cerca de 3 km2.


Construídas durante o reinado do faraó Snefru, salientam-se a Pirâmide Vermelha e a Pirâmide Quebrada. Existem outras pequenas pirâmides nas imediações mas o acesso não é possível.


A Pirâmide Quebrada está envolta em mistério. Não se sabe exactamente porque tem aquela forma. Teorias apontam para que o seu arquitecto tenha errado na forma da pirâmide e, para poder terminá-la sem que ela colapsasse, teve que a fazer daquela maneira. Outras teorias apontam para uma tentativa por parte dos arquitectos para melhorar estas formas piramidais. Mais uma vez, tivemos que ver esta pirâmide de longe. O local não está acessível pois existe uma barreira militar que impede a passagem. Sendo assim, a nossa primeira experiência dentro de uma pirâmide ocorreu na Pirâmide Vermelha.


A Pirâmide Vermelha é um edifício grandioso. Tivemos que subir algumas rochas pela parte exterior da pirâmide até alcançar a entrada. Ai, descemos vertiginosamente (e catastroficamente) um corredor estreito e baixo com 65 metros até alcançar as três câmaras interiores. O calor era abrasador, o ar irrespirável e abafado. Sentíamos a água escorrer pelo corpo. Mesmo assim, continuamos a subir e a descer escadas e túneis para visitar o seu interior. Como é estar dentro de uma pirâmide? Abafado, muito abafado! Claustrofóbico e deslumbrante. Sentimo-nos seguros (por incrível que pareça). Cá fora, esperava-nos mais e mais calor...


Etiquetas: