Portas... há muitas!


Quando se percorrem as ruas das povoações marroquinas há algo incontornável - as portas. Cada porta que encaro parece uma obra de arte e à medida que a minha estada se prolonga reparo que uma das belezas deste país está na sua magnífica arquitectura.
A arquitectura urbana de Marrocos pode-nos fazer perder por completo a noção do tempo. Desde mesquitas com mais de 1000 anos, como a de Karaouiyine, em Fez, até aos edificios mais modernos nas estações de comboio, Marrocos conserva o seu estilo árabe nas edificações.
Mesquita Karaoiyine - Fez

A arquitectura árabe inclui um conjunto de estilos seculares e religiosos, desde a fundação do Islão, aplicados no desenho e construção de edifícios e estruturas. As principais construções da Arquitetura Islâmica são: as Mesquitas, as Túmulos, as Merdesas, os Palácios e os Fortes, sendo que são ainda típicos desta cultura os banhos públicos (Hammans), as fontes, e a arquitectura doméstica.

Fontes em Fez

As colunas ornamentadas, os arcos e as cúpulas embelezam os monumentos e quando se juntam num mesmo edíficio fazem parecer qualquer simples construção num magnífico palácio.
Koubba Ba'Adiyn - Marrakech
Cada uma das dinastias que reinaram em Marrocos teve influências diferenciadas e concederam à paisagem urbana aspectos impares. Os Almorávidas (séc. XI - XII) desenvolveram o estilo mourisco e andaluz, que marcou também a arquitectura do sul de Espanha (ex. Mesquita de Córdova ou Palácio de Alhambra em Granada). Aqui, os magníficos arcos em ferradura, as paredes decoradas com estilizados motivos de folhagens, inscrições em árabe e desenhos com arabescos nas paredes azulejadas concedem grande originalidade aos edifícios. Uma das grandes obras dos Almorávidas, em Marrocos, foi a Koubba Ba'Adiyn, a cúpula em tijolo de uma mesquita antiga em Marrakech.
Mesquita Koutoubia - Marrakech
Nos séc. XII e XIII, a dinastia Almóada atingiu o apogeu e desenvolveu um estilo arquitectónico que viria a ser inigualável. Um dos maiores exemplos desta arquitectura é a Mesquita Koutoubia, em Marrakech, com padrões geométricos e entrelaçados.
Merdesa Bou Inania - Fez
Os Merínidas, nos séc. XIII a XV, utilizaram o mesmo estilo arquitectónico que as dinastias anteriores, no entanto, introduziram um novo edíficio - as Merdesas ou Madrasas (estabelecimento cultural e religioso que incluia mesquita, catedral, residência de estudantes e escola), autênticas obras-primas da arquitectura marroquina. Era a chamada universidade-mesquita, inicialmente dedicada ao estudo da religião, direito, ciência e artes. Com o passar do tempo este estabelecimento viria a tornar-se também um espaço de reflexão. Aqui, o estilo arquitectónico atinge uma ornamentação requintada com azulejos com complexos padrões geométricos e estuque talhado e gravado, assim como portas de madeira talhadas.
Merdesa El-Attarine - Fez

Merdesa Ben Youssef - Marrakech

Nos séc. XVI e XVII, a dinastia Sádida criou novos edíficios como Palácios e Túmulos. Destacam-se, evidentemente, os túmulos sádidas em Marrakech (único local onde tivemos que enfrentar filas intermináveis para visitar) e o Palácio el-Badi, já em ruínas mas que permite um vislumbre do que terá outrora sido. Os túmulos sádidas permaneceram muito tempo negligenciados, já que só no século XX foram descobertos graças ao uso das fotografias aéreas. Aqui o estuque decorativo com rendas de motivos florais e geométricos cobrem as paredes do mausoléu.
Túmulos Sádidas - Marrakech

Os Alauitas, dos séc. XVII até à actualidade, criaram duas grandes cidades em Marrocos. Mulei Ismail foi o responsável pela grandiosidade arquitéctónica de Meknes (quando a transformou numa cidade real) e Sidi Mohammed ben Abdellah fundou Essaouria. Esta última, infelizmente não tivemos oportunidade de visitar, mas Meknes encheu-nos perfeitamente as medidas. O mausoléu de Mulei Ismail é o melhor exemplo arquitéctonico deste período com telhados pirâmidais, arcos de ferradura com relevos decorativos, portas duplas e revestimentos decorativos de pedra esculpida.
Mausoléu de Mulei Ismail

A Era Moderna começou no século XX e prolongou-se durante todo o período do protectorado francês. É desta altura que resultam as Nouvelles Villes existentes um pouco por todas as cidades marroquinas.
Do estilo clássico ao moderno, Marrocos tem um conjunto impar de monumentos interessantíssimos de arquitectura árabe, o que seguramente garante por si só uma viagem inesquecível.

Etiquetas: ,