Nos confins do imperio romano


Depois de termos visitado as capitais da civilizacao greco-romana, e muito interessante que, pelo meio das nossas viagens, possamos conhecer alguns locais que ainda exibem marcas destas civilizacoes. Um desses lugares, num dos extremos do antigo Imperio Romano, situa-se aqui em Marrocos, a cerca de 33km da cidade de Meknes. Sao as ruinas da antiga cidade de Volubilis, eleita patrimonio mundial da Unesco em 1997. Fundada por mercadores cartagineses no sec. III a.C., foi anexada pelos Romanos em 40 d.C. No seu auge, a cidade devera ter sido habitada por cerca de 20000 pessoas e, mesmo depois dos Romanos a terem abandonado em 280 devido a constantes ataques de povos berberes, continuou a ser habitada, sendo posteriormente islamizada por Moulay Idriss, figura religiosa mais venerada actualmente neste pais, bisneto de Maome, fugido de Meca e fundador da primeira dinastia reral de Marrocos. A cidade resistiu ate ao sec. XVIII, quando a sua marmore comecou a ser levada em grandes quantidades para a construcao dos palacios de Moulay Ismail, um sultao com a mania das grandezas, sofrendo o golpe de misericordia com o terramoto de 1755. Hoje, as ruinas e a cidade de Moulay Idriss, onde esta o tumulo do dito cujo, constituem uma excelente opcao para um programa de um dia a partir de Meknes. Como so tinhamos a manha, dirigimo-nos apenas as ruinas e passamos ao lado da cidade pintada de branco. Pudemos apreciar o que resta de edificios publicos e casas particulares, rodeadas por muralhas que abarcavam uma area de cerca de 400000 metros quadrados. Os poucos turistas e a paisagem involvente dao um toque magico as ruinas. Campos cultivados com cereais e milhares de oliveiras sao testemunhas actuais das restricoes impostas pelos Romanos ao que deveria ser produzido nesta regiao.
Uma via em linha recta divide as ruinas, onde sobressaem a basilica, o capitolio e o forum. Mas o verdadeiro tesouro sao os mosaicos que se podem encontrar espalhados um pouco por toda a area. Depois de ter admirado este tipo de obra de arte nos museus em Roma, tenho agora a sorte de os ver in situ, numa cidade nos confins do imperio, embelezando ainda mais o que por si so ja seria um lugar de grande interesse arqueologico. Por falar nisso, o que falta escavar neste local indica que ainda existirao muitos tesouros por revelar.

Etiquetas: ,