Ilha Taquile - Lago Titicaca

Chegamos hoje de uma visita de dois dias ao lago Titicaca. Ao meio-dia de ontem atracamos no norte da ilha de Taquille. A ilha impressiona logo pelo facto de a quase totalidade da sua área estar em socalcos, uma vez que existem desníveis consideráveis apesar de só ter um comprimento máximo de 5 km. Estes socalcos são pré-incas e as gentes locais vão utilizando alguns deles para a agricultura. Fizemos um percurso a pé até ao centro do "pueblo".


De 25 de Julho a 5 de Agosto, decorrem aqui as festas de São Tiago (o mesmo de Santiago de Compostela!), com danças típicas na plaza e uma ingestão considerável de álcool! Resolvemos passar aqui uma noite, na casa de uma família local. Já estive em quartos (muito) piores e a pagar muito mais! Depois de termos subido ao ponto mais alto da ilha, onde se encontram ruínas de um templo a "Pachamama", a mãe-terra, fomos ver o pôr-do-sol. ESPECTACULAR! As cores do céu, a serenidade das águas, a sensação de estar num mundo à parte... Inesquecível! Definitivamente, um ponto alto da nossa viagem!


Iluminado a luz de vela, e coberto de um céu repleto de estrelas (para além de um tecto forrado a sarapilheira) onde a Via Láctea se impunha, o nosso quarto já tinha o seu encanto. A seguir fomos jantar. Infelizmente, ao contrário do que esperávamos, não o fizemos na companhia dos nossos anfitriões. Ainda assim, soube-nos bem a comida por eles preparada, apesar da sua simplicidade. As oito e meia já estávamos na cama pois aqui vive-se ao ritmo do rei-sol!


Aos primeiros vislumbres da claridade da manhã já estávamos acordados e, deitados nas nossas camas, contemplamos o nascer do sol por trás da cordilheira real boliviana. Depois de um pequeno almoço, com uma vista espectacular para o lago e um sol quentinho, iniciamos um percurso rumo à praia da ilha. Após uma hora ao longo da costa, chegamos ao nosso destino.


LINDO! A areia branca contrastava com a água azulíssima do lago e o azul celeste, e no horizonte as montanhas cumeadas de neve formavam um quadro perfeito. Infelizmente, não pudemos ficar muito tempo pois tínhamos barco de volta ao meio-dia num porto que dista 545 degraus da entrada da aldeia!


Quando do barco olhamos para a Taquille cada vez mais distante, sabíamos que nunca mais a íamos esquecer!


Etiquetas: